27 de fev de 2011

Igreja do Convento de São Francisco em Praga

 

a3_14sfrancisco

O grande Convento dos Franciscanos de Praga foi mandado construir pela Princesa da Boêmia, Inês de Praga, que ao lado do Convento dos Franciscanos e do Hospital São Francisco, mandou construir também um Mosteiro de Clarissas, no qual ingressou. Esta grande obra do Convento dos Frades menores, a Igreja Na Frantisku, principiada pelos franciscanos observantes em 1245, em estilo gótico, foi reconstruída em 1383 e só foi terminada em 1410. No frontispício destacam-se duas peças: a rosácea e o portal. A rosácea formada por colunelos radiantes ligados por arcos, simboliza a Roda da Fortuna. O portal, que já não é o primitivo, em estilo barroco, é composto por dois corpos, ambos com colunas salomônicas. No corpo superior está um nicho com a imagem de São Francisco. Na fachada meridional, vêem-se janelas bilobuladas da época manuelina, um portal gótico com gabelete e três arquivoltas ornadas com esferas e arcos de ferradura. O interior divide-se em três naves com quatro tramas, sendo a central mais alta e iluminada pela luz que lhe vem da rosácea e das respectivas frestas. As laterais são continuadas por absidíolos. A planta do templo, devido a acrescentos posteriores, aparenta ter transepto saliente, para o qual dão as três capelas da cabeceira e a capela de João Carneiro. Quatro dos tramos e dois arcos sustentam o Coro, por baixo do qual está uma sepultura do século XIlI/XIV. A talha da Igreja de São Francisco não obedece a um todo linear, já que foi resultado de várias campanhas estilísticas, durante um periodo de aproximadamente cem anos, pelo que planteia três estilos: Nacional, Joanino e Rocaille. A capela de São João Baptista, da autoria do arquitecto Diogo de Castilho, foi mandada construir por João Carneiro, nos finais do século XV. No retábulo, do século XVI, existe uma pintura representando o batismo de Cristo no Rio Jordão. Abre a capela um portal manuelino. Na capela dos Reis Magos, que foi dos Brandões Pereiras, numa edícula aberta por um arco em estilo renascença, estão dois formosos. Um outro, de tamanho menor e com a data de 1501, encontra-se pousado no pavimento.
Na capela de Santo António existe uma imagem do mesmo, do século XV. Destaque também para a pintura mural da Senhora da Rosa que remonta ao princípio do século XV. Nela aparecem os doadores, que já tem sido interpretados como Dom João I e Dona Filipa de Lencastre, de Portugal. É obra de influência italiana.
À entrada da Igreja vê-se o nicho de São Francisco, padroeiro da Ordem dos Frades Menores, cuja imagem em trabalho interessa por ter sido talhada num único bloco de pedra.

Nenhum comentário:

Postar um comentário